Magistrados, servidores e sociedade em geral podem sugerir metas para o Poder Judiciário

 

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) está motivando seus servidores, magistrados e a sociedade em geral para participar de uma consulta pública por meio da qual os cidadãos podem sugerir metas para serem adotados para o Poder Judiciário no ano de 2019. A consulta pública está disponível até o dia 1º de agosto de 2018 e pode ser acessada em www.tjam.jus.br ou aqui.

A consulta pública vem sendo realizada pelo TJAM e por outros 19 tribunais estaduais e por meio dela a Rede Nacional de Governança da Justiça Estadual motiva a sociedade a opinar sobre o que deve ser priorizado pelo Poder Judiciário no ano de 2019. A iniciativa tem como premissa a participação democrática dos cidadãos e é realizada em consonância com a Resolução nº 221/2016 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Ao acessar a página da consulta pública, o interessado encontrará as opções: “Cidadão”, “Advogado”, “Defensor”, “Membro do MP”, “Magistrado” e “Servidor”, podendo acessar, dentre estes, o perfil que melhor se adéqua ao seu. A pesquisa pode ser respondida em poucos minutos e todas as informações prestadas terão sigilo absoluto não sendo, sob nenhuma hipótese, divulgado os nomes e opiniões de seus participantes.

De acordo com o diretor da Divisão de Planejamento e Gestão Estratégica do TJAM, Rodrigo Choji, a participação é fundamental para que o Poder Judiciário alinhe seus objetivos aos anseios da sociedade. “Assim como os demais tribunais que estão integrados nesta proposta, o Tribunal de Justiça do Amazonas quer dar voz aos seus servidores, aos magistrados, aos operadores do Direito e à população para juntos, definir prioridades. Agindo assim, acredito, teremos um Poder Judiciário participativo e atento às necessidades da sociedade”, disse Rodrigo Choji.

Conforme Choji, as Metas Nacionais do Poder Judiciário representam o compromisso dos tribunais brasileiros com o aperfeiçoamento da prestação jurisdicional, buscando proporcionar à sociedade serviços eficientes e de qualidade.

Integrando a Comissão de Acompanhamento das Metas Nacionais do Poder Judiciário, o juiz de Direito Roberto dos Santos Taketomi, acrescentou que ao propor um debate relativo às suas prioridades, o Judiciário dá voz aos cidadãos. “A importância maior se dá para ampliar o debate, levando a sociedade a colaborar, efetivamente, para que tenhamos uma Justiça cada vez mais célere e eficiente”, comentou.

As metas nacionais para o Poder Judiciário são definidas anualmente pelo CNJ desde 2009 e com elas o Conselho busca estimular os tribunais à excelência na prestação jurisdicional.

As metas nacionais para este ano de 2018 pode ser conferidas aqui.

 

Afonso Júnior
Arte: Pedro Batista
Fonte: TJAM

 

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *