Presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas na homenagem a Arthur Neto

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador João Simões, disse que a Medalha de Ouro “Cidade de Manaus”, outorgada ao ex-senador Arthur Virgílio Neto é reconhecidamente “uma das mais justas homenagens que a Câmara Municipal já fez a um homem público”.

O presidente do TJAM participou da cerimônia de outorga da medalha e fez parte da composição da mesa diretora dos trabalhos, tomando assento ao lado do homenageado. O presidente em exercício do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AM), desembargador Flávio Pascarelli também participou da solenidade.

— Trata-se de uma homenagem a um homem que foi Deputado Federal, foi Ministro, Senador pelo Estado do Amazonas e sempre se pautou em defesa das grandes causas do Estado. É uma forma também de reconhecer e sua luta em prol da manutenção das vantagens comparativas da Zona Franca de Manaus – disse João Simões ao chegar à Câmara, na sala da presidência da Casa.

O peso pesado do PSDB veio a Manaus para a homenagem ao Arthur, proposta pelo vereador Paulo De Carli e realizada às 10hs no plenário Adriano Jorge. O ex-governador e candidato a presidente, José Serra (PSDB-SP), o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e os senadores Flecha Ribeiro (PSDB-PA) e Aloysio Nunes (PSDB-SP).

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso enviou uma carta – destacando o talento e a competência política de Virgílio -, que foi lida por seu filho, o deputado estadual Arthur Bisneto, líder do partido na Assembleia Legislativa. O senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves, também mandou mensagem para Arthur justificando a ausência. As palavras proferidas pelo ex-governador de Minas arrancaram aplausos do plenário e da galeria.

Ao chegar à Câmara, Arthur Virgílio disse que a Medalha de Ouro tinha um significado especial por se tratar de uma homenagem de sua cidade através dos seus vereadores e depois pela presença tão significativa de pessoas que corroboraram pela própria cidade.

— Fico muito feliz com isso. É um momento importante de confraternização, sem deixarmos de alertar para os perigos que rondam a Zona Franca de Manaus, sem deixarmos de alertar para a necessidade da união do Estado em favor de uma luta que vai ser muito dura, uma luta que vai ser muito exigente – alertou o ex-ministro chefe da Casa Civil.

Virgílio advertiu que daqui há um ano se registra os cem anos da debacle da borracha. “Nós não podemos permitir que algo parecido aconteça, e o momento que a Zona Franca vive é o mais crítico da sua história. Eu não tenho descansado. Tenho alertado sistematicamente em artigos, em palavras, em toda oportunidade que tenho, para o perigo que ameaça o projeto. E essa homenagem também é nesse sentido, o de darmos mais uma vez uma voz de alerta” – disse o ex-senador tucano.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *