TJAM adere à campanha “Setembro Amarelo” de valorização da vida e prevenção ao suicídio

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) realiza neste mês uma programação especial que marca a adesão da Corte à campanha mundial de valorização da vida e prevenção ao suicídio, denominada “Setembro Amarelo”. Voltada para os servidores, a campanha – que neste ano elegeu como slogan “Falar é a melhor solução” – tem como objetivo trabalhar a conscientização sobre a prevenção do suicídio, abordando a necessidade de atenção aos fatores psicológicos e transtornos mentais relacionados.

Como parte da programação, entre os dias 24 a 28, o tema será debatido em Rodas de Conversa organizadas pela Divisão de Serviços Médicos do TJAM, em todas as unidades judiciárias da capital. A ação começará pelo Fórum Henoch Reis, no dia 24; Fórum Lúcio Fonte de Resende, no dia 25; Edifício Arnoldo Péres, dia 26: Fórum Azarias Menescal, dia 27 e, para finalizar, no dia 28, no Fórum Mário Verçosa, em Aparecida.

A campanha estará sob a coordenação das psicólogas Sandra Maria Desideri e Aline Ferreira Gomes e da psiquiatra Maria de Nazaré Costa da Silva, que atuam no Serviço Médico do TJAM. Sandra Desideri destaca que 90% dos casos de suicídios podem ser evitados e que a campanha Setembro Amarelo busca justamente trabalhar a prevenção.

“O amarelo é a simbologia da vida, do sol, da luz. Anualmente, acompanhando o calendário da Organização Mundial de Saúde (OMS), o TJAM tem se integrado à campanha Setembro Amarelo, levando ações para todos os fóruns, buscando alcançar os servidores e seus dependentes e promover o debate sobre a questão do suicídio de uma forma muito aberta, pois, em 90% dos casos, ele pode ser evitado através da orientação, do diálogo, da superação dos estigmas que envolvem o tema. O suicídio, essa palavra tão pesada, é um pedido de socorro por parte do indivíduo que, fragilizado, perdeu a capacidade e a estruturação, mental e emocional, de aguentar as demandas da própria vida”, explicou a psicóloga.

Sandra frisa que o ato do suicídio é um fenômeno complexo, influenciado por vários fatores. “São fatores que, dependendo do peso e da estrutura mental do indivíduo, o tornam incapaz de suportar”, disse ela, citando uma frase do psicólogo clínico americano Edwin Shneidman: “A melhor forma de entender o suicídio não é estudando o cérebro e, sim, as emoções. As perguntas a fazer são: ‘onde dói? E como posso ajudá-lo’”.

Nas mídias

A campanha também ganhará espaço nas mídias sociais do TJAM. A Divisão de Divulgação e Imprensa desenvolveu, sob a orientação do Setor Médico, e com base no tema central da ação – “Falar é a Melhor Solução” – peças como cards, wallpaper, banners e vídeos, que começam a ser divulgadas nesta segunda-feira (10), Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A finalidade é estimular as pessoas a procurar apoio, orientação e ajuda especializada diante de situações emocionais mais severas.

Problema de saúde pública

Segundo dados do Ministério da Saúde, entre 2011 a 2015, o número de suicídios no Brasil cresceu 12%. É a quarta maior causa de mortes entre jovens de 15 e 29 anos. No Brasil, cerca de 11 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos, sendo que, 79% são homens e 21% são mulheres.

Serviços

O Serviço Médico do TJAM dispõe de atendimento em Psiquiatria e Psicologia. Há entidades que atuam também gratuitamente na prevenção ao suicídio. Uma das mais importantes é O Centro de Valorização da Vida (CVV), entidade sem fins lucrativos que atende pela central 188.

 

Carlos de Souza
Fotos: Raphael Alves
Fonte: TJAM

 

 

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *