TJAM inicia reformulação da Política de Segurança da Informação do Judiciário Estadual

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) iniciou o trabalho de reformulação da Política de Segurança da Informação do Judiciário Estadual. As novas providências que vêm sendo projetadas pelo presidente da Corte, desembargador Yedo Simões e pela Comissão de Gestão de Tecnologia da Informação (TI) da Corte Estadual pretendem reforçar as medidas de segurança no uso de ferramentas tecnológicas no âmbito do Judiciário, indicando aos servidores recomendações técnicas e penalidades no caso da utilização indevida de senhas de acesso, uso de pendrives, movimentações processuais e outras.

A série de medidas programadas, reeditará o planejamento de segurança vigente e favorecerá um maior controle, por exemplo, na tramitação de processos judiciais em 1ª e 2ª instância.

Conforme deliberação da última reunião de trabalho, as medidas de segurança, antes de implementadas, serão precedidas de uma ampla capacitação de servidores do Judiciário, onde serão apresentadas as providências e seus objetivos. “Hoje, quase a totalidade dos processos tramitam por plataforma informatizada no Amazonas e, por isso, pretendemos aprimorar as medidas de segurança na utilização destas plataformas implantando uma Política de Segurança da Informação que reeditará e potencializará as providências que já vêm sendo utilizadas pela Corte Estadual do Amazonas na tramitação processual e nas comunicações administrativas”, explicou o desembargador Yedo Simões.

Dentre as medidas previstas, neste trabalho, a Comissão de Gestão de TI do Tribunal de Justiça do Amazonas pretende: treinar e capacitar funcionários; prover investimentos em tecnologia de ponta; aplicar metodologias de governança; aplicar e auditar a segurança da informação e os processos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); criar indicadores para monitoramento e controle, dentre outras ações.

Conforme o secretário-geral administrativo do TJAM, Messias Andrade, um workshop com palestras ministradas por especialistas em segurança da informação também será providenciado para os servidores da Corte. “De modo a apresentar a eles a necessidade do aprimoramento das medidas de segurança e capacitá-los para a utilização destas”, apontou Messias.

 

Texto e fotos: Afonso Júnior
Fonte: TJAM

 

 

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *