Jorge Lins é o novo desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas

Com 17 votos e aparecendo pela terceira vez na lista tríplice como o mais votado, o juiz Jorge Lins foi eleito hoje, pelo critério de merecimento, o novo desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). A escolha, realizada através do sistema de voto eletrônico, aconteceu durante a sessão do Tribunal Pleno. A eleição foi convocada pelo TJAM para o preenchimento da vaga aberta com a aposentadoria, pela compulsória, do desembargador Arnaldo Carpinteiro Péres. “O Judiciário do Amazonas está precisando de magistrados com a competência profissional do Dr. Jorge Lins”, disse o desembargador-presidente, João Simões.

Jorge Manoel Lopes Lins, 54 anos, é juiz de carreira, começando na magistratura pela comarca da Boca do Acre, em 1985, onde permaneceu por quatro anos. Em seguida, foi transferido para a comarca de Anori, depois para Parintins, de onde foi promovido para a capital em 1992.

— Antes de tudo quero agradecer a Deus por ter me guiado até aqui. Agradeço também aos desembargadores que me premiaram com uma votação expressiva, por unanimidade. Eu fico muito orgulhoso dessa vitória – disse o novo desembargador, visivelmente emocionado.

A votação teve início às 11h46m, quando o presidente João Simões anunciou que a escolha seria feita da forma mais transparente, através do processo eletrônico, com a pontuação aparecendo no telão montado no Plenário. Obedecendo aos critérios estabelecidos na resolução do CNJ, os desembargadores foram digitando e postando sua pontuação aos oito candidatos que concorreram à vaga – Lafayette Carneiro Vieira, Jorge Lins, Nélia Caminha Jorge, Joana Meirelles, Onilza Abreu, Lia Maria Guedes, Mirza Telma de Oliveira e Erivan Santana. A juíza Nélia ficou em 2º lugar, com 13 votos e Joana Meirelles em 3º, com 9 votos.
Quando o painel apontou que a somatória de pontos dariam a vitória a Jorge Lins, o juiz foi abraçado pelos filhos, pelos irmãos e amigos. “Essa é uma vitória que não é só minha. Quero dividí-la com meus amigos, meus familiares e todos aqueles que torceram por mim”, disse o desembargador eleito, que tem 26 anos de magistratura.

Lins já havia ingressado, anteriormente, duas vezes em listas tríplices. Esta foi a terceira vez que ele compôs a lista, dessa vez aparecendo como o mais votado.

Perguntado como avalia o momento porque passa o Poder Judiciário, com o controle que vem sendo feito pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o desembargador eleito respondeu que vê o momento com muito otimismo, principalmente pelo momento de reforma porque ele vem passando. “E eu me sinto muito feliz em poder integrar o Pleno do Tribunal e fazer parte dessa história, além de poder dar também a minha contribuição para essa transformação”, disse Jorge Lins.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *