PIM vai conhecer projeto Começar de Novo

O programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e operacionalizado em âmbito estadual pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), será apresentado na próxima sexta-feira (25 de março) às indústrias do Pólo Industrial de Manaus (PIM). A reunião, que ocorrerá devido à iniciativa da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), visa a disponibilização de mais vagas de trabalho ao público alvo do projeto e a implantação de unidades produtivas das empresas do PIM nas unidades carcerárias do Estado. O Começar de Novo tem o objetivo de promover ações de reinserção social de presos, egressos do sistema carcerário e de cumpridores de medidas e penas alternativas. As ações previstas envolvem as áreas de educação, capacitação profissional e reinserção no mercado de trabalho. A reunião está marcada para às 14h no auditório Floriano Pacheco, na sede da Suframa, na Rua Ministro Mário Andreazza, nº 1424, Distrito Industrial (zona Sul).
Na reunião, além dos representantes das empresas do Polo Industrial de Manaus e da Suframa, estarão presentes membros do Grupo de Monitoramento Carcerário do TJAM, da Secretaria de Estado da Justiça (SEJUS) e o presidente do TJAM, desembargador João Simões. De acordo com a coordenadora do programa Começar de Novo, juíza Telma Roessing, além de discutir as questões referentes à criação de novos postos de trabalho para presidiários, a reunião servirá para quebrar alguns preconceitos. Ela também destacou que a Suframa já havia declarado total apoio ao projeto. “Às vezes uma pessoa passa pela seleção de emprego, mas quando não apresenta a Certidão Negativa de Antecedentes Criminais, não é aceita. Essa reunião, com o apoio da Suframa, servirá para apresentar o programa Começar de Novo e quebrar esses preconceitos. Na verdade, em janeiro, a Superintendente da Suframa (Flávia Grosso), reiterou que o órgão daria 100% de apoio ao Começar de Novo. A própria Suframa teve a ideia de promover essa reunião, para a qual o órgão chamaria as empresas e entidades de classe”, disse a magistrada, lembrando ainda que a participação da Sejus também é de extrema importância na reunião. “A Sejus, que é parceira no projeto, vai se manifestar sobre a possibilidade das empresas realizarem algo dentro do Sistema Carcerário, como a instalação de unidades produtivas dentro das unidade carcerárias”, acrescentou.
Postos de trabalho na Copa
Além da presença de empresários na reunião, é possível que estejam presentes membros da Unidade Gestora da Copa do Mundo de 2014 no Amazonas. Este órgão vem participando de reuniões com o Começar de Novo, desde que foi assinado entre o CNJ e os estados brasileiros um termo de cooperação técnica no intuito de criar reserva de vagas para o público alvo do projeto nas obras das Copas das Confederações e do Mundo, em 2013 e 2014 respectivamente. “A Unidade Gestora da Copa do Mundo 2014 no Amazonas tem interesse em fazer valer esse termo de Cooperação Técnica”, disse Telma Roessing, coordenadora do Começar de Novo no Amazonas.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *