Mulheres condenadas no Amazonas por tráfico internacional de pessoas

A organização levava mulheres amazonenses para comercializarem seus corpos em  programas sexuais na Guiana Inglesa.


A condenação foi da Justiça Federal no amazonas. O crime foi investigado pela Polícia Federal do Amazonas e denunciado pelo Ministério Público Federal no Amazonas.
Maria Aracilda Costa Praia, conhecida como Cida, e Paula Regina Pinheiro, foram condenadas a pouco mais de três anos de reclusão, pela Justiça Federal no Amazonas por tráfico internacional de pessoas. A sentença se harmonizou com a denúncia feita, em setembro de 2010, pelo Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), envolvendo a organização que aliciava mulheres do Brasil em Manaus, estado do Amazonas e encaminhava-as até a Guiana Inglesa. Na Guiana Inglesa, as belas garotas comercializavam o sexo em uma casa noturna.
 O juiz federal Márcio Coelho de Freitas substituiu as penas privativas de liberdade pelo pagamento de três salários mínimos e prestação de serviços à comunidade, nos termos dos artigos 44 e 45 do Código Penal.
Lembrando o episódio – Em setembro de 2010, o MPF/AM denunciou seis pessoas, entre elas um guianense, por formação de quadrilha e tráfico internacional de pessoas para fins de exploração sexual. Duas delas são acusadas ainda de cárcere privado e estupro. O grupo aliciava mulheres brasileiras em Manaus e promovia a saída delas para a Guiana Inglesa, onde eram exploradas sexualmente em uma casa noturna. A denúncia foi resultado de investigação da Polícia Federal e do MPF/AM, denominada Operação Dama de Ouro.


Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *