Justiça do Rio condena quinto PM acusado do assassinato de juíza

Outros seis PMs ainda vão ser julgados. O cabo, que estava preso na época do crime, foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão.
A Justiça do Rio de Janeiro condenou o quinto policial militar acusado do assassinato da juíza Patrícia Acioli, em 2011. Outros seis PMs ainda vão ser julgados.

O cabo da PM Carlos Adílio Maciel Santos foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão, por homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha.

“Ao invés de proteger o cidadão, tornava-se cúmplice da sua eliminação. Portanto, gritante contraste da função a ser exercida pelo policial, que é servidor público, em comparação com a atuação diária do acusado”, afirmou o juiz Peterson Barroso Simão.

Dois meses antes do assassinato, ele foi preso por ordem da própria juíza, em um processo em que é acusado de ter executado um jovem em uma favela.

A defesa alegou que, como estava na cadeia, o PM não teria participação no crime. Mas, de acordo com as investigações, mesmo na prisão, o cabo ajudou a planejar e a financiar o assassinato. A magistrada foi morta com 21 tiros quando chegava em casa em agosto de 2011.

O Ministério Público ficou satisfeito com o resultado final do julgamento, mas a defesa do cabo já recorreu. “Eu não concordo porque ele estava preso, o juiz reconheceu isso na decisão”, afirma o advogado Robson Barcellos.

“Feliz não dá para sair. Infelizmente minha irmã está morta, mas acho que estou com um pouquinho mais sensação de justiça feita”, diz a irmã da juíza, Simone Acioli.

Fonte: Globo

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *