Justiça determina que União seja ‘fiadora’ da Sofia durante tratamento

10464279_582471555204802_9024771405789333041_nA juíza da 3ª Vara Federal de Sorocaba (SP), Sylvia Marlene de Castro Figueiredo, determinou nesta quarta-feira (28) que seja mantida a decisão do desembargador Mário Moraes, do Tribunal Regional Federal, em São Paulo (SP), para que seja feita a transferência da Sofia Gonçalves de Lacerda, de cinco meses, para os Estados Unidos. O bebê, que mora em Votorantim (SP), sofre de síndrome de Berdon, uma doença rara que exige um transplante multiviceral.

De acordo com o advogado que cuida do caso, Miguel Navarro, a determinação foi apresentada à Justiça federal em Sorocaba na quarta-feira (25) e a União já foi intimada sobre a decisão. Navarro explicou que a União deve ser a responsável não só pela cirurgia da pequena Sofia, mas também garanta todo o custeio de pré e pós operatório da menina no exterior, uma espécie de fiador.

Para Navarro, essa é uma forma de assegurar que a menina terá todo o suporte necessário. “Dessa forma nós garantimos que, caso ela precise de alguma ajuda, ela e toda a família terão o custeio da União”, explica.

Na última sexta-feira (20), o Ministério da Saúde confirmou o depósito de R$ 2,2 milhões, em juízo, para o pagamento do transplante multivisceral que a menina de seis meses precisa. Sofia sofre de uma doença rara. Segundo o ministério, o valor foi repassado para uma conta judicial, mas o advogado explica que é necessário que eles encaminhem esse dinheiro para o hospital que fará a cirurgia em Miami. “Não adianta eles deixarem esse dinheiro nos cofres públicos, precisam mandar para que o hospital libere a entrada da Sofia”, afirma.

Ainda segundo o advogado, a viagem deve ser feita o quanto antes, o que deve acontecer entre sexta-feira (28) e segunda-feira (30). “Assim que liberarem essas questões Sofia já poderá viajar para os EUA”, diz.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *