Comissão de Gestão Ambiental entrega cartilha de combate a dengue à SUSAM

A cartilha foi entregue pelo presidente do TJAM, desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, para o secretário de Estado de Saúde, o médico Wilson Alecrim, que na ocasião falou da importância de iniciativas como esta do Poder Judiciário. “A dengue é uma doença para qual não tem vacina, então é preciso de um envolvimento de todos; todo material que é feito para alertar e conscientizar as pessoas é sempre bem vindo, as campanhas para as doenças que não têm vacina têm grande resultado quando atingem as igrejas e escolas. Este material está muito focado em um público que tudo que ouve e ver comenta e procura por em prática que são as crianças”, destacou o secretário.

De acordo com o autor da cartilha, Adalberto Carim, este é o resultado de um trabalho que foi realizado na Vara do Meio Ambiente, que tem como objetivo tratar da legislação de uma forma lúdica. ” Esse é um trabalho feito com muito carinho para democratizar e desenvolver a ecocidadania. Acredito que além deste trabalho é importante, que o Poder Judiciário tenha uma agenda para levar essa mensagem positiva a todos”, acrescentou o juiz.
Campanha
No último dia 5 de dezembro, o Ministério da Saúde lançou  a Campanha Nacional de Combate à Dengue, com o objetivo de reforçar a sensibilização da população sobre a importância da prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, mantendo hábitos simples como limpar calhas, caixas d`água e recolher o lixo.
Com formato educacional e informativo, a campanha será dirigida aos professores, agentes de saúde, gestores municipais, educadores, profissionais de saúde, crianças e a população em geral. As ações de comunicação do Ministério da Saúde são desenvolvidas com base em dois cenários: período não epidêmico e período epidêmico.
Até o fim de dezembro, durante o período não epidêmico, o foco é o incentivo para adoção de hábitos diários de prevenção, como manter garrafas vazias viradas para baixo, trocar a água das plantas aquáticas regularmente, entre outras ações capazes de reduzir os criadouros.
Para o período epidêmico, que vai de janeiro a maio, além de manter as medidas de prevenção para evitar a proliferação do mosquito transmissor, o foco da campanha enfatizará também a importância do reconhecimento dos sinais e sintomas da doença pela população. A campanha enfatiza a necessidade de acompanhamento por um profissional de saúde dos casos suspeitos de dengue e alertar sobre os riscos da auto medicação pela população.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *