Comissão de documentos realiza reunião com corregedor geral

A reunião encontro, realizada no auditório do Fórum Henoch Reis, contou com a participação dos secretários de Câmara, de secretarias, escrivães, diretores de secretarias e de divisão, além de diretores de unidades organizacionais e teve como pauta o envio dos autos findos e das peças digitalizadas de processos para o Arquivo Central; apresentação da base de dados para cadastrar as peças digitalizadas; petições digitalizadas – procedimento para eliminação sistemaitizada, entre outros assuntos.
Segundo o juiz de Direito e presidente da Comissão Permanente de Avaliação de Documentos (CPAD/TJAM), Cezar Luiz Bandiera, a intenção também é solicitar a colaboração dos colegas servidores para o aprimoramento dos trabalhos para que a instituição tenha um arquivo adequado para atender da melhor forma possível a demanda produzida. O juiz de Direito apresentou a pauta ao desembargador Yedo para que a corregedoria geral apoie na busca de soluções. “A corregedoria é fundamental porque é ela que direciona, controla e orienta a atuação do escalão de primeiro grau da magistratura e dos servidores”, explicou Cezar Bandieira. O magistrado apontou a insuficiência de instalações adequadas para arquivo e um quadro pequeno de pessoal e equipamento como os problemas prioritários a serem resolvidos e cuja solução reflete no bom andamento da atividade do setor e da comissão.
O corregedor-geral reafirmou o apoio da corregedoria do TJAM e salientou o objetivo de primar pela qualidade no serviço do Poder Judiciário. “Podemos planejar soluções para o Arquivo Geral, além de dar apoio à Comissão Permanente de Avaliação de Documentos, pois em termo de demandas necessárias para se ter um serviço de alta qualidade, um arquivo geral que suporte o volume de papel que ainda existe na Justiça é necessário. Mas é necessário um investimento e não é um planejamento a curto prazo, necessita de licitação, estrutura física com a construção de galpões adequados para o armazenamento de documentos”, salientou o corregedor.
Segundo o corregedor há a previsão para a construção de um depósito, especificamente para arquivo. “Sabemos que há a atividade fim e os problemas a serem resolvidos, mas o Arquivo Geral não deixa de ser importante, naturalmente está em uma fila de prioridades do Tribunal e no cronograma de ações e providências que a administração precisa tomar”, explicou o corregedor do TJAM.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *