Judiciário amazonense economizará na conta de energia com Projeto de Eficiência Energética da Eletrobras Amazonas Energia

O Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM) irá economizar cerca de 30% nos gastos com a conta de energia elétrica do Fórum Ministro Henoch Reis. É que na manhã desta segunda-feira (27) foi assinado o contrato do Projeto de Eficiência Energética da Eletrobras Amazonas Energia, que prevê a substituição de lâmpadas fluorescentes por outras mais econômicas nas salas, e por lâmpadas do tipo LED nos corredores. 
Com o ‘Eficiência Energética’, o Fórum passa a ter uma redução de, aproximadamente, R$ 42 mil na fatura média mensal de R$ 130 mil. Ainda como parte do projeto, os servidores públicos do Judiciário irão receber dicas de como economizar energia elétrica e utilizá-la de forma mais eficiente.
A parceria entre Judiciário e a empresa fornecedora do serviço de energia elétrica deve incentivar outros órgãos a aderir à mesma campanha. “Todo bom exemplo deve ser seguido e isso significa muito para nós porque demonstra que também queremos colaborar com aquilo que é imprescindível, que é a economia. Quando se economiza energia, consequentemente se está contribuindo com o próprio meio ambiente”, destacou o presidente do TJAM, desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa.
Para a Eletrobras Amazonas Energia, tão importante quanto prestar um bom serviço é economizar. “Nossa campanha tem sido de poupar energia. No ano passado tivemos a campanha de utilização racional de ar condicionado. Então, aquilo que parece ir de encontro ao negócio da empresa, não o é. Nossa missão é entregar energia na quantidade necessária e conscientizar a população de que economizar é bom, tanto para a saúde financeira, quanto para humanidade por conta das questões ambientais”, disse o diretor de Geração, Transmissão e Operação para a Capital, Tarcísio Estefano Rosa.
A iniciativa não gera custos para o TJAM, que receberá um investimento no total de R$ 419.400,00, resultado de uma parceria entre a Eletrobras Amazonas Energia, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam), após um estudo minucioso sobre a implantação do programa no Fórum.
O início dos trabalhos de instalação está previsto para setembro. Após a instalação será realizada uma palestra para os servidores para economizar energia. “Trata-se do primeiro prédio público a ser dotado de um sistema tecnológico moderno e ecologicamente correto da região Norte”, afirma o juiz auxiliar da Presidência do tribunal, Adalberto Carim Antonio, titular da Vara Especializada do Meio Ambiente e de Questões Agrárias (Vemaqa), que acompanhou o estudo.
Eficiência Energética
O Programa Eficiência Energética será executado por uma empresa contratada e supervisionada pela Eletrobras Amazonas Energia e implantado em três etapas. Primeiro a contratada realizará a medição da demanda e do consumo de energia do circuito de iluminação pelo período de sete dias, depois fará a substituição e realização da manufatura reversa das lâmpadas e reatores, após isso, fará nova medição da demanda e do consumo de energia do circuito de iluminação pelo período de sete dias, objetivando medir o ganho no consumo de energia elétrica. 
De acordo com o diretor de Geração, Transmissão e Operação para a Capital, da Eletrobras Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, a assinatura do contrato é um momento único tanto para a empresa, quanto para o Judiciário no Amazonas. “Este é um momento que deve servir de incentivo não somente para os órgãos públicos, como também para todo cidadão amazonense. É hora de iniciarmos uma forte campanha pela utilização da energia com racionalidade e economia”, observou.
O diretor ressalta que a missão da Eletrobras é de se tornar uma das maiores empresas fornecedoras de energia limpa de todo o país e, por meio de projetos como o de Eficiência Energética, a empresa vem cumprindo seu papel. “Dessa forma, além de economizar energia, a empresa também proporciona maior qualidade de vida para as pessoas”, destacou Rosa.
O projeto consiste em substituir 3.398 lâmpadas tubulares fluorescentes de 40W por 3398 lâmpadas tubulares fluorescentes de 32W;  substituir 1.699 reatores de 40W por reatores de 32W;  substituir 1.444 lâmpadas tubulares fluorescentes de 40W por 1.444 lâmpadas tubulares LED de 18W; retirar 722 reatores de 40W; realizar a manufatura reversa das lâmpadas substituídas e reatores retirados, conforme a Lei nº 12.305/2010; e realizar a medição e verificação por sete dias antes e sete dias depois da substituição das lâmpadas e reatores.
Projeto Parintins
No dia 27 também será feito o anúncio da instalação de placas fotovoltaicas (energia solar) no Fórum da Comarca de Parintins (a 379 quilômetros de Manaus), em um projeto piloto financiado pelas Empresas Distribuidoras da Eletrobras denominado ‘Projeto Parintins’. A ação também será pioneira no Judiciário brasileiro, sem custos para o TJAM.
O Projeto Parintins que adota o sistema smart grids (redes inteligentes), teve início em 2011 e prevê a total automatização da rede de distribuição de energia elétrica daquele município. Uma gama de equipamentos e dispositivos modernos e de alta tecnologia como: religadores e medidores inteligentes irão oportunizar maior confiabilidade ao sistema e possibilitar que consumidores possam fazer uso racional de energia.
Pioneirismo
Outros projetos já vêm sendo desenvolvidos pelo Judiciário estadual na área ambiental. No fim de julho, o TJAM assinou um acordo de cooperação técnica com a empresa Eternal – Indústria, Comércio, Serviço e Tratamento de Resíduos da Amazônia Ltda, para o descarte de óleo lubrificante dos 67 veículos da frota do órgão. 
Com a iniciativa, o TJAM tornou-se um dos primeiros Tribunais de Justiça do Brasil e o primeiro da região Norte a dar uma destinação ecologicamente correta ao resíduo. Até o momento já foram recolhidos 200 litros de óleo lubrificante e uma bombona de 200 litros com recipientes de óleo.
Além disto, o Amazonas conta há 15 anos com o trabalho pioneiro da Vara Especializada do Meio Ambiente e de Questões Agrárias (Vemaqa). Por meio da aplicação de penas alternativas e medidas compensatórias, a Vara desenvolve atividades de conscientização ambiental e implantou projetos como a Oca do Conhecimento Ambiental (são duas bibliotecas com livros na área em bairros de Manaus), Postos de Entrega Voluntária (PEVs) (oito unidades que estimulam o destino correto do lixo reciclável) e o Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam) no Shopping Manauara, que promove oficinas de reciclagem, workshops e exibição de filmes ambientais para posterior discussão, em conjunto com outros órgãos do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama).
A Vara do Meio Ambiente já recebeu várias premiações pelo trabalho desenvolvido:
    Prêmio de Qualidade do Superior Tribunal de Justiça, em 2001;
    Distinção no Prêmio Innovare, em 2007;
    Prêmio do Instituto Chico Mendes, em 2008;
    Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza, em 2009;
    Ordem do Mérito do Cavaleiro do Exército Brasileiro, em 2010;
    Revelação pela pesquisa mundial de varas e tribunais ambientais do Greening Justice, da Unesco e Universidade do Colorado, em 2010;
    Destaque com o trabalho prático “Especializar é a tendência”, na Rio + 20.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *