MINISTÉRIO PÚBLICO RECONHECE TRAJETÓRIA DE SIMÕES, GRAÇA E CHALUB

” A administração do presidente João Simões será reconhecido não por nós, mas pelos nossos netos”. Foi assim que o ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) justificou a outorga da Medalha do Mérito do Ministério Público ao presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), e à ex-presidenta do TRE/AM, Graça Figueiredo e ao ex-presidente do TJAM, Domingos Chalub.
A solenidade aconteceu no auditório “Procurador Geral Carlos Alberto Bandeira de Araújo” e foi aberta às 10hs, quando o Procurador-geral, Francisco Cruz iniciou a formação da mesa Diretora, chamando para compô-la o ex-senador Arthur Virgílio Neto; o presidente do TCE, Érico Desterro; ministro do STJ, Mauro Campbell; o presidente do TRE, desembargador Flávio Pascarelli; e representando o TJAM, desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura. Também participaram da solenidade os desembargadores Cláudio Roessing e Wellington Araújo.
A Medalha do MP é um título conferido a membros da carreira ou dos poderes Legislativo e Judiciário, ou autoridades civis, militares e eclesiásticas, e também a instituições, que, de alguma forma, prestaram relevantes serviços ou tiveram comprovado destaque profissional em favor do MP-AM, da sociedade e da Justiça.
Também receberam a comenda o Promotor de Justiça aposentado Aguinaldo Concy de Souza e o Promotor de Justiça de Entrância Final (in memoriam), João Lúcio de Almeida Ferreira.
Competência e ética – As autoridades que recebem a medalha são escolhidas pelo Conselho da Medalha do Mérito, cuja composição é feita por membros do Egrégio Colégio de Procuradores de Justiça e presidido pelo Procurador-geral. Ao falar sobre o perfil dos homenageados, o procurador Francisco Cruz destacou que suas carreiras foram marcadas pela ética, competência e pelo trato correto com a coisa pública.
É o reconhecimento do Ministério Público a uma gestão orientada pela correção e pelo equilíbrio. O desembargador João Simões nos deixa um grande exemplo, de um gestor que não se preocupou com a impopularidade, ele ficou preocupado com a Justiça, e deixa um Tribunal preparado para continuar crescendo – disse o procurador.
Sobre a desembargadora Graça Figueiredo, Cruz afirmou que sua atuação frente ao Tribunal Regional Eleitoral deixa um grande legado. “A desembargadora realizou um belo trabalho, digno de ser seguido. É um tributo da nossa instituição a essa grande profissional e grande mulher, que deixou um grande exemplo de que as mulheres têm grande talento.
Sobre o terceiro desembargador homenageado, Domingos Chalub, como vice-presidente e oriundo da classe dos advogados, também demonstrou não só conhecimento com o compromisso público e “por isso também merece o nosso reconhecimento”.
Ministro Campbell – Para o ministro é algo alvissareiro quando o Ministério Público resolve se reunir para homenagear membros do Judiciário. “De forma que é um envaidecimento para todos nós amazonenses, sobretudo para o Ministério Público do Amazonas” – disse.
Sobre a administração de João Simões à frente do TJAM no biênio de 2010-2012, Campbell destacou que “nossos netos ainda haverão de agradecer mais ainda do que nós”.
? Com certeza as gerações João Simões foram estadistas do Tribunal do Amazonas. A administração dele será, sob todos os aspectos, uma administração marcante de probidade, honradez e de competência, capacidade, dinamismo, sobretudo de grande articulação política para chegasse ao nível que se chegou, ou seja, terminar sua gestão com um saldo extraordinário – reforçou o ministro.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *