TJAM FAZ ANÁLISE DE ACERVO HISTÓRICO DAS COMARCAS

A Comissão Permanente de Avarquivo3aliação de Documentos (CPAD) e setor de Arquivo Central do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), vem realizando um trabalho de análise microbiológica nos acervos de documentos judiciais e administrativos da capital e comarcas do interior. Trata-se de uma ação inédita que vem sendo realizada através do Termo de Cooperação Técnica entre o Tribunal de Justiça e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA)

“A parceria foi celebrada no ano de 2010, prorrogável por até 5 anos e tem como objetivo realizar o controle microbiológico do acervo do Poder Judiciário do Estado do Amazonas”, explicou a servidora e biomédica Lessandra Rufino.

Fungos preocupam – Depois das primeiras análises dos documentos, realizadas no ambiente onde será instalada a nova estrutura do Arquivo Central do Tribunal, localizado na Av. Constantino Nery, os profissionais da comissão manifestaram uma grande preocupação com o estado dos arquivos. De acordo com Pedro Neto , gerente do Arquivo Geral, os resultados são preocupantes porque foram identificados vários fungos prejudiciais à saúde.

— Essa constatação está diretamente relacionada à saúde dos servidores e estagiários que diariamente movimentam os acervos em fases intermediária e permanente – alerta Pedro Souza.

A biomédica Lessandra observa que não se trata de acabar, definitivamente, com os fungos, pois isso é impossível, mas de controlar o alto índice de proliferação.

No mesmo período de coleta para análise microbiológica, os servidores, os serventuários e funcionários das comarcas receberam orientações sobre a gestão de documentos em arquivo, formas de organização dos acervos, o processo de avaliação e seleção da documentação que será destinada à eliminação ou guarda permanente. Tal iniciativa será intensificada, pois o arquivo tem como objetivo proporcionar periodicamente este tipo de controle, ressaltou o gerente de arquivo, Pedro de Souza Neto.

O gerente ressalta que o trabalho é necessário, pois em breve os acervos das comarcas que compreendem a Região Metropolitana de Manaus, serão removidos para capital com a finalidade de armazenar e preservá-los adequadamente.

— Estamos realizando o processo inverso, pois as unidades organizacionais quando forem acionadas para remover os seus arquivos já terão todo conhecimento técnico de como proceder -, concluiu Pedro.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *