Justiça marca nova audiência sobre preço do ingresso do jogo da Seleção

1

Ministério Público Estadual propôs ação contra a CBF alegando abusividade no preço

A juíza Mônica Cristina Raposo da Câmara Chaves do Carmo, da 11ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, concedeu prazo de 48 horas para que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se manifeste sobre a possibilidade de acordo em relação ao preço dos ingressos cobrados para a partida de futebol entre as seleções de Brasil x Colômbia. O jogo, que vale pelas eliminatórias da Copa do Mundo, está previsto para 6 de setembro, na Arena da Amazônia. A juíza marcou para a próxima quarta-feira (27), às 9h30, uma nova audiência de conciliação, entre a CBF e o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM).

“Suspendemos a audiência realizada nesta segunda-feira e concedemos o prazo de 48 horas para que a CBF se manifeste sobre a possibilidade de acordo”, frisou a magistrada, ao final da primeira audiência de conciliação entre as partes. Ela informou que a suspensão das vendas dos ingressos está mantida até o dia 27, data da próxima audiência.

Na semana passada o MPE propôs um Ação Civil Pública contra a CBF, alegando preço abusivo dos ingressos para o jogo, que vale pelas eliminatórias da Copa do Mundo (Processo nº 0624031-88.2016.8.04.0001). Na ação, o MPE pediu que a Justiça determinasse a redução do valor dos ingressos em 60%, a suspensão da venda dos ingressos até a adequação do preço, a fixação de taxa única pela compra realizada via internet, ressarcimento do valor pago pelo consumidores que já haviam efetuado a compra, bem como a numeração de ingressos correspondentes às cadeiras numeradas na Arena.

A audiência realizada nesta segunda-feira na 11ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, contou com a participação do representante do MPE-AM, promotor de Justiça Otávio Gomes; dos advogados da CBF, Diego D`Avilla e Roosevelt Jobim Filho; do procurador-geral do Município, Marcos Cavalcanti e do subprocurador-geral do Município, Rafael Albuquerque; do presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas, Marco Antônio Salum e do presidente da Federação Amazonense de Futebol, Francisco das Chagas Dissica Valério Tomaz.

Texto: Afonso Júnior e Terezinha Torres | TJAM

 Foto: Raphael Alves | TJAM

Do site TJAM

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *