TJAM registra a destruição de 1992 armas de fogo entre janeiro e novembro deste ano

Foto: Carlos de Souza | TJAM
Foto: Carlos de Souza | TJAM

As armas faziam parte de processos criminais que tramitaram na Justiça amazonense.

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) entregou ao Exército Brasileiro, esta semana, mais 362 armas para destruição. Com este número, a Justiça estadual já registra o quantitativo de 1992 armas de fogo destruídas entre janeiro e 25 de novembro deste ano. Essas armas faziam parte de processos criminais que tramitaram no TJAM.

Dentre os armamentos destruídos esta semana estão revólveres, espingardas e armas de ar comprimido. As armas são entregues já devidamente catalogadas e depois conferidas por oficiais do Exército, tendo também o acompanhamento de servidores do TJAM. “As armas são oriundas de crimes, cujos processos tramitaram no Tribunal. Primeiro são identificadas e cadastradas no nosso banco de dados, inclusive as apreendidas no interior. Assim que se forma um lote nós entramos em contato com o Exército e formalizamos o pedido de destruição”, explicou o diretor do Depósito Público do TJAM, Sidney Level.

As armas passam por uma prensa, onde são quebradas e inutilizadas. Depois da destruição parcial vem o derretimento com fogo. A temperatura alta derrete o metal e transforma em um bloco. A destruição segue uma orientação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Com as 362 armas destruídas nesta quinta-feira, em 2016, o Tribunal de Justiça do Amazonas destruiu 1992 armas de fogo. Nesse ano o TJAM também incinerou 2.144 armas brancas.
Texto e foto: Carlos de Souza | TJAM

Edição de texto: Acyane do Valle | TJAM

Fonte: DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E IMPRENSA

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *