Ari Moutinho, eleito presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas diz que vai priorizar o concurso público

Na primeira entrevista como presidente eleito do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), o desembargador Ari Jorge Moutinho reconheceu o trabalho que vem sendo desenvolvido pela equipe do atual presidente, João Simões, e garantiu que os concursos públicos serão a prioridade de sua administração.

O presidente eleito disse esperar que Simões complete sua administração com a realização do concurso para juízes, mas, se não houver tempo ele o fará em sua gestão. O TJAM, na administração de Simões, vem realizando concursos por sub-regiões. O primeiro foi na região do Juruá, em outubro de 2011 e os aprovados já estão trabalhando. No próximo domingo será realizado mais um na calha do Rio Negro. Simões informou também que dentro de 60 dias será realizado um grande concurso público para a capital. Sobre o concurso para magistrados, ele adiantou que já foi aprovada a resolução para a sua realização. O presidente acredita que até o fim da sua gestão realizará o concurso de magistrado. “É um concurso mais complexo. Não se pode fazer um concurso de servidor ou magistrado de uma hora para outra. São muitos preparativos, muitos procedimentos a serem adotados, justamente para evitar qualquer percalço”, disse Simões na coletiva realizada após a eleição para a nova presidência do TJAM.

O presidente eleito também foi questionado pela imprensa sobre a realização do concurso para juiz. Segundo ele, a administração de Simões não poupará esforço para realizar o certame, mas se o tempo for curto ele continuará o trabalho.

— Como eu disse, o desembargador João Simões é um desembargador muito preparado e tem uma grande equipe ao seu lado. Eu tenho acompanhado, ele vem se organizando para realizar esse concurso (para juiz). Ele ainda tem praticamente mais 90 dias. Eu creio que na sua administração não dê mais tempo pra fazer, mas se for na minha eu farei tranquilamente – disse Moutinho.

O desembargador citou como exemplo o concurso que realizou no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), quando foi presidente, para 35 mil candidatos.

— Foi um concurso feito na mais absoluta transparência e, até hoje, nenhuma pessoa disse que teve alguma irregularidade. Foi um concurso para mais de 35 mil pessoas, todos que foram aprovados já estão trabalhando. Isso é que nos deixa tranquilo. Eu acho que, quem vai administrar um concurso, tem que se proteger de todo jeito para que o concurso seja sério, transparente e que não traga favorecimento a ninguém. É isso que nós devemos ter – ressaltou Ari Moutinho.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *